Domingo, 28 de Outubro de 2012

PORTO> CONFEITARIAS> Porto Rico

 

 

A Confeitaria Porto Rico mora na Rua Oliveira Monteiro – 497, mesmo no seu cruzamento com a Rua Nossa Senhora de Fátima, junto à Rotunda da Boavista.

 

Com mais de 50 anos, este ícone desta arte portuense vive num espaço relativamente pequeno mas que encarna na perfeição todo o bom espírito da mercearia fina, cada vez mais raro mas tão apreciado pelos verdadeiros gourmet.

 

Rodeados pelos envidraçados de diversas arcas, pelas clássicas prateleiras de vidro de correr e pela típica montra de boa pastelaria, tudo está em harmonia e à vista do gastrónomo: o lote das massas folhadas e frescas; a doçaria tradicional onde o amarelo bonito dentro das caixas trouxas de ovos chama a atenção; os queijos; os suspiros; os tradicionais biscoitos; as cervejas, onde se destacam as portuense Sovinas; duas filas da histórica Ferreira Duque, a melhor groselha que por cá se produz...

 

EPICURISTA ME CONFESSO *****

 

Esta é daquelas casas que sempre que entro me sinto bem e me apetece levar quase tudo. Aliás, fico sempre com dor de alma, arrependido de todas as vezes que me rendo ao facilitismo da vida e entro em hipermercados, e isso unicamente pelo facto de encontrar muita coisa num só espaço. Em vez disso, devíamos é percorrer pela cidade cada bastião da sua arte, porque aí sim íamos desfrutar mais de todas as compras que fazemos...

 

Mas na Porto Rico tudo bate certo, a começar pelo Comodoro deste barco, o sr. António, sábio homem desta arte, que patroneia um serviço de referencia na nobre arte do bem servir atrás do balcão, que parece às vezes fácil mas não é de todo. 

 

Depois vamos à matéria-prima, pautada por alta qualidade em tudo o que por aqui habita. De entre as jóias da coroa, temos um dos mais afamados Bolos Rei do burgo, digno de estar numa mesa de reis. As massas são também de eleição, nomeadamente a fresca. A doçaria tradicional está com certeza abençoada por beneditinos,  como são os bons exemplos das trouxas de ovas ou de uns deliciosos Jesuístas, não deixando de lado qualquer um dos biscoitos de produção diária.

 

Para quem gosta, por exemplo, de groselha como eu, encontra-se por cá a histórica Ferreira Duque, nesta arte há mais de 70 anos, mas cada vez mais difícil de encontrar, mas cá esta e em quantidade.

 

Outra raridade nesta cidade de se descobrir, e para infelicidade de muitos que nunca a degustaram, é a cerveja artesanal Sovina, manufacturada no nosso meio portuense.

 

Enfim, ir às compras com prazer é mesmo aqui... Bem haja Sr. António!


publicado por Epicurista Portuense às 02:27
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 12 de Outubro de 2012

PORTO> CERVEJA> SOVINA

 

Este meu Porto não me para de surpreender. Já há alguns meses que andava para beber uma cerveja artesanal de fabrico cá no burgo, a Sovina, e finalmente já cá mora.

 

Entrei ao final da tarde na emblemática Confeitaria Porto Rico para comprar a melhor groselha nacional, a histórica Ferreira Duque, e não é que na arca frigorifica, mesmo à minha mão, estavam 3 garrafas de espírito muito clássico: a Âmbar, a Trigo e a Helles. Eu, muito sovina, não resisti e trouxe as três de uma só vez...

 

Terminada que está agora a sessão de prova, estou rendido e cliente, sobretudo da Sovina Âmbar e da Trigo.

 

> A Âmbar, apesar de mais encorpada e a bater nos 6%, não se mostra como forte, tendo  elegância de boca, amplitude de paladar e muito frutada no aroma. É uma verdadeira gourmet entre as cervejas.

 

> A Trigo, com os seus 4,6% e turva qb, e referenciada pela casa como tipicamente bávara, é também muito boa mas talvez um pouco mais complexa ao palato.

 

> Finalmente a Helles, agradável sem ser memorável no final do copo.

 

Estas cervejas de fabrico artesanal e genuino, feitas por três mestres cervejeiros na muito portuense Rua Oliveira Monteiro, tem como ingredientes a água, o malte de cevada, lúpulo e levadura. Tem como particularidades serem cervejas não filtradas, sem corantes nem conservantes, com gás natural produzido pela levedura, logo também mais saudáveis.

 

O investimento é maior que nas cervejas correntes, ronda os 2,20€, mas vale bem a pena beber menos mas com muito mais qualidade.

 

Quem ainda não provou não sabe o que perde... Bem hajam e por favor alarguem rapidamente os vossos pontos de venda na cidade!

 

Site:  www. 3cervejeiros.pt

 

 

Tags: ,

publicado por Epicurista Portuense às 00:50
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Outubro de 2012

LISBOA> RESTAURANTE> Bar SNOB

 

 

O Bar-Restaurante SNOB mora em pleno Príncipe Real, na clássica lisboeta Rua do Século - 178. É uma daquelas casas que não dorme, com porta aberta diariamente a partir das 16h30 até as 3 da matina, excepto na noite de Natal…

 

Próxima dos festejos das bodas de ouro, esta casa escreve solidamente a sua história desde Novembro de 1964.

 

A decoração é muito britânica, entre madeiras e armários que comportam garrafas e livros da autoria de reconhecidos mestres das letras da nossa praça, estão mesas cobertas de pano verde e candeeiros de mesa, que dão intimidade ao contexto e convidam a conversas intermináveis.

 

A frequência é de pessoas interessantes e com histórias de vida, que vão escritores a jornalistas, a actores e políticos, passando simplesmente por bons notivagos e conversadores.

 

EPICURISTA ME CONFESSO****

 

Este é um clássico da capital que marcou a minha passagem por terras de lisboa. Frequentei-o há uns com assiduidade e na companhia de bons conversadores e amigos, que criaram na minha memória grandes recordação de longos momentos de cavaqueira à volta daqueles panos verdes.

 

Hoje em dia, sempre que vou a Lisboa e pernoito, a volta é obrigatória e, por isso, a razão da partilha deste testemunho.

 

A aliar a tudo isto, é fundamental referenciar a iguaria gastronómica da casa, o famoso Bife à Snob, onde o molho com base de natas é uma especialidade. A acompanhar verdadeiras batatas fritas, daquelas de se comer e chorar por mais, assim como o rapar do molho quando o prato já está vazio, com o pão aquecido na mão do comensal. Para terminar em beleza o repasto tardio, um levezinho ao estomago café de saco que sabe pela vida.

 

Um apontamento interessante e não raras vezes visto por estas bandas, é acompanhar o bife com uma água de castelo lavada em whisky. A verdade é que cai muito bem, só não sei é se é só no Snob.

 

Quanto à conta é em conta, ainda por cima quando temos um serviço exemplar comandado pelo Sr. Albino, velho timoneiro desta casa, e uma cozinheira por nossa conta noite dentro. O menu com Bife à Snob da Vazia + bebida +Café vale uns justíssimos 12,75€

 

Bem-hajam e por muitos anos!

 

SITE: http://www.snobarestaurante.com

 


publicado por Epicurista Portuense às 22:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Antonio José Barros
Um Blog de prazeres profundos, mesmo que por vezes muito simples...


Pesquisa

 

Tags

todas as tags

Posts recentes

Porto > Cervejaria > Bras...

CASTELO DO NEIVA > Restau...

CASCAIS > REGIONAL > Rest...

CASCAIS > Pastelaria/Rest...

EXPO 2015 - Milão

MATOSINHOS > RESTAURANTES...

Guia Michelin: Os 14 rest...

PORTO > TRADICIONAL > Res...

Festas de São Bartolomeu ...

AVEIRO > REGIONAL > PEIXE...

Visitas

Subscrever feeds