Quinta-feira, 15 de Março de 2012

VINHOS> Ouvir o soar do click de um Quinta do Cotto nunca mais!

 

A minha escolha para jantar recaiu num vinho tinto da Quinta
do Cotto – 2008. Qual foi o meu espanto quando esperava eu pelo soar da rolha a
sair do gargalo e, ao invés, saiu um inaudível click… Enfim, sou português,
defendo e bebo sobretudo os vinhos portugueses, e gosto muito da tão lusitana
cortiça.

 

Não compreendo como um vinho português, do nosso Douro, que
vive numa carta a €22, pode querer poupar uns cêntimos numa rolha e saudar uma
rosca.

 

Quando cheguei a casa, ainda me dei ao trabalho de aceder ao
site da Quinta para deixar uma nota do meu desagrado. Mas o meu espanto ainda
foi maior, que em vez de esta gente meter a cabeça debaixo da terra de
vergonha, saltam uns banners para o ecrã do meu computador a querer convencer-me
das vantagens da rosca e de ser mais fácil a abertura. Como para mim beber um
vinho é um acto de cultura e de saudação ao palato, abrir uma garrafa é um acto
de celebração e não de despacho. Acresce a isto tudo, estamos a falar de uma
matéria-prima de preço médio e não de um vinho corrente.

 

É de muito mau gosto, não merece ser aberto e, portanto, só
me lembra dizer: Não Hajam!

Tags:

publicado por Epicurista Portuense às 00:23
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De Pedro a 15 de Março de 2012 às 12:47
Muito bem dito. Eu assino por baixo. É uma vergonha o que esses senhores fizeram em tempos para tentarem justificar a opção pelas tampas de rosca e para isso optaram por tentar denegrir a nossa cortiça...


De Fernando Ribeiro a 15 de Março de 2012 às 14:17
Eu quando abri uma e vi a cena deixei pura e simplesmente de comprar. Alias e proibido abrir essas garrafas comigo à mesa


De Mário a 16 de Março de 2012 às 11:51
De muito mau gosto, claro!
E reprovavel, dado o que se conhece do que uma boa rolha pode fazer a um bom vinho...A não ser que o não seja, nesse caso a escolha "tá feita"!


De Rui Ferreira a 16 de Março de 2012 às 12:25
Uma nota adicional, para esclarecer que nao e necessariamente verdade que uma capsula de rosca represente uma poupança financeira em relação a uma rolha de cortica. Hoje a cortica tem uma gama de produtos muito competitivos que podem responder em qualquer segmento de mercado do vinho, com elevada performance técnica.


De Antonio Santiago a 16 de Março de 2012 às 13:34
Sendo o sobreiro considerada a ÁRVORE NACIONAL DE PORTUGAL, e juntando todas as outras justificativas apresentadas pelos precedentes comentadores, só me apetece dizer..... Não bebam vinho com screw-caps que é o que este tem.....SÓ E APENAS COM ROLHA DE CORTIÇA.... Portugal Merece!


De rogeli a 16 de Março de 2012 às 13:47
En un buen vino nunca un tapon de rosca, siempre una rolha de CORTIÇA NATURAL


De João a 16 de Março de 2012 às 15:34
Não compreensível também foi o facto de um canal de TV ter transmitido uma reportagem na quinta do côtto, com vários minutos de antena, a publicitar os vinhos da quinta e a rosca das suas garrafas. Ao mesmo tempo que decorria uma feira da fileira da cortiça à qual praticamente não atribuiram tempo de reportagem.
Assim são os diretores de informação do nosso País.


De Anónimo a 16 de Dezembro de 2015 às 20:59
Pior do que tudo, fiz um corte razoável num dedo!...


Comentar post

Antonio José Barros
Um Blog de prazeres profundos, mesmo que por vezes muito simples...


Pesquisa

 

Tags

todas as tags

Posts recentes

Porto > Cervejaria > Bras...

CASTELO DO NEIVA > Restau...

CASCAIS > REGIONAL > Rest...

CASCAIS > Pastelaria/Rest...

EXPO 2015 - Milão

MATOSINHOS > RESTAURANTES...

Guia Michelin: Os 14 rest...

PORTO > TRADICIONAL > Res...

Festas de São Bartolomeu ...

AVEIRO > REGIONAL > PEIXE...

Visitas

Subscrever feeds