Segunda-feira, 19 de Março de 2012

PORTO> TRADICIONAL> Restaurante O BURACO

Os dois timoneiros do Buraco

 

O Restaurante Buraco mora na baixa portuense, próximo do Mercado do Bolhão, na Rua do Bolhão – 95. Aberto durante todos os dias da semana útil, ao fim-de-semana só à hora de almoço de sábado, porque o restante é reservado ao merecido descanso desta boa gente. Ao jantar não convém chegar depois das 22h30, porque há que começar a preparar o dia seguinte.

 

Esta experiente cozinha serve há mais de 40 anos os comensais cá do burgo, com qualidade e num ambiente familiar. Patroneada pelos simpáticos Sr. Manuel, no andar de cima e, na cave, pelo Sr. Francisco, mais que timoneiros deste barco são bons amigos de uma clientela fiel e dedicada, constituída por muitas famílias e grupos de amigos, que com frequência sentam as pernas debaixo destas mesas.

 

A cozinha é caseira e tradicional portuguesa, com boa matéria-prima e bem confecionada, e que vai do frango pica-no-chão às tripas à moda do porto, de uns simples panados a um arroz de pato, para além de diversas ofertas pescadas do mar como os linguadinhos ou petinga com arroz de feijão ou tomate.

 

EPICURISTA ME CONFESSO****

 

O Buraco é uma verdadeira casa de comida, caseira e familiar, que frequento desde criança. Começa logo pelo simpático e atencioso tratamento na forma de “o menino…” tanto do Sr. Francisco como do Sr. Manuel, ao facto de nunca abrir a carta, visto que basta perguntar o que temos para agradar ao nosso paladar que de pronta resposta recebemos “hoje vai comer isto…”

 

Não costumo ser cliente do almoço, porque este é um bom restaurante para se ir em família ou com amigos, com calma e sossego, pelo que prefiro a escolha pela hora de jantar. E, assim, na sexta-feira cá fiz mais uma visita e fiquei na cave, como na maior parte das vezes, mais pelo hábito do que por outra razão qualquer.

 

“O menino” seguiu a sugestão do Sr. Francisco e foi para as tripas. Até chegar o “manjar dos portuenses”, uns bons rissóis quentes acamaram o meu estomago. Chegadas as tripas à mesa, o simples apontamento de chegarem num tradicional tacho ainda abriu mais o meu apetite. As tripas estavam fantásticas, os enchidos também, e o tempero mesmo no ponto. Mais uma vez confirmam-se com umas das melhores cá do burgo.

 

Para beber escolhi, aliás tal como sempre, os vinhos da casa, que são muito honestos e suaves, começando com uma jarrinha de branco e que se seguiu a do tinto.

 

Para finalizar, trouxe o doce à minha boca através de um bolo de bolacha, que sem ser digno de memória é muito agradável.

 

Como cheguei já a queimar a hora, depois de servido tive a companhia na mesa ao lado do Sr. Francisco e do Sr. Manuel, conforme o meu registo fotográfico o confirma… :)

 

Como um dos restaurantes no Porto com melhor qualidade/serviço/preço, por aqui não se sente a crise, com as salas sempre cheias e sorridentes. O preço de cada prato anda entre os 6€ e os 7€, pelo que a refeição ronda os 10€. A minha conta não foi diferente e um jantar de família com 5 pessoas, com rissóis de entrada, as tripas, sobremesa e cafés ficou por um cálculo de cabeça que se traduziu em 11€ “por bico”.

 

Tal como sempre, um hábito a preservar e para quem não conhece uma boa descoberta a experimentar… Bem hajam!

 


publicado por Epicurista Portuense às 00:09
link do post | comentar | favorito
Antonio José Barros
Um Blog de prazeres profundos, mesmo que por vezes muito simples...


Pesquisa

 

Tags

todas as tags

Arquivos

Março 2016

Setembro 2015

Agosto 2015

Junho 2015

Novembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Ligações

Visitas

Subscrever feeds